IDETIFICAÇÃO DE ÁREAS IMPACTADAS

Tem como objetivo principal a localização das áreas contaminadas, é a primeira fase do Gerenciamento de Áreas Contaminadas sendo constituído pelas etapas:

Avaliação Preliminar

Avaliação inicial da área de interesse a partir de dados existentes e visitas técnicas no campo. A execução da etapa de avaliação preliminar consiste basicamente na elaboração de um diagnóstico inicial das áreas potencialmente contaminadas, identificadas na etapa anterior, o que será possível realizando-se um levantamento de informações existentes e de informações coletadas em inspeções de reconhecimento em cada uma dessas áreas.

 

A execução dessa etapa possibilitará:

 

  • Levantar informações sobre cada AP de modo a subsidiar o desenvolvimento das próximas etapas do gerenciamento de ACs;

  • Documentar a existência de evidências ou fatos que levem a suspeitar ou confirmar a contaminação nas áreas em avaliação, possibilitando sua classificação como AS, AP, AC ou exclusão do cadastro;

  • Estabelecer o modelo conceitual inicial de cada área em avaliação;

  • Verificar a necessidade da adoção de medidas emergenciais nas áreas.

 

Os resultados obtidos nessa etapa possibilitam estabelecer uma classificação das áreas anteriormente identificadas como APs, com base em dados existentes e observações realizadas durante inspeções às mesmas. Como resultado da avaliação dessas informações, as áreas poderão ser classificadas como ASs, ACs ou mesmo permanecerem como APs.

 

O solo e a água subterrânea são meios prioritários a ser considerados no gerenciamento de ACs, pois, além de ser bens a proteger de extrema importância, normalmente são as principais vias de propagação de contaminantes para outros bens a proteger.Dessa forma, na definição dos objetivos do gerenciamento de ACs em uma determinada região de interesse, a proteção da qualidade do solo e das águas subterrâneas deve ser prioritária.

 

Avaliação Confirmatória

A etapa de investigação confirmatória encerra o processo de identificação de áreas contaminadas e tem como objetivo principal confirmar ou não a existência de contaminação nas áreas suspeitas, identificadas na etapa de avaliação preliminar.

 

Nessa etapa, as áreas anteriormente classificadas como ASs são avaliadas, utilizando-se métodos diretos e indiretos de investigação, visando comprovar a presença de contaminação, possibilitando a classificação das mesmas como ACs.

O processo de investigação consiste basicamente em realizar amostragem de solo e/ou água subterrânea em pontos estratégicos com análises químicas para confirmar ou não a existência de contaminação e verificar a necessidade da realização de uma investigação detalhada nas áreas suspeitas.